sexta-feira, 16 de setembro de 2011

SONETO DA SOLIDÃO

Acordei na alta noite
Era uma noite de luar;
A lua estava cor de prata
E as estrelas a brilhar.


Eu senti a tua falta,
Perguntei então pra lua:
Onde estarias esta hora,
Pois era grande a falta tua.


A lua não disse nada,
As estrelas também não.
Fui dormir angustiado,


Ao lado da solidão.
Com o coração apertado
E a alma despedaçada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário