quarta-feira, 9 de maio de 2012

Amor não merecido


Quem mais tem aquele amor eterno?
De sempre achar que a gente é criança
Até mesmo quando somos crescidos,
Sacrificar seu conforto para nos deixar confortável.

Amor sublime, amor indescritível,
Talvez nem merecido...
E às vezes até desprezado

Aquele ser pequeno e inocente cresceu,
Corrompeu-se e até desprezou quem tanto lhe amou,
Quem sempre chorou pra vê-lo sorrindo
Quem sacrificou o presente pra dar-lhe um bom futuro.

Mas mesmo desprezada, rejeitada...  ainda o ama.
Pois para ela, mesmo crescido,
Só o ver pequeno e inocente,
Seu eterno bebê.

Um comentário: